Buscar
  • Rafael Oliveira Buta

Disfunções sexuais


Ejaculação Precoce          Ejaculação é a liberação do sêmen pelo pênis. É dita precoce quando o homem sente que não tem controle sobre a ejaculação, e ela acaba ocorrendo antes do que ele gostaria (antes, no momento ou logo após a penetração), em resposta ao mínimo estímulo sexual. É a disfunção sexual que mais acomete o homem (25% a 30% da população masculina apresenta essa condição).          A ejaculação precoce acaba influenciando em vários aspectos da vida do homem, pois leva a ansiedade, constrangimento, depressão, raiva e culpa. Também afeta a parceira, trazendo desconforto para a relação no casal.          A causa da ejaculação precoce ainda não é muito bem definida na literatura médica, mas acredita-se que fatores biológicos e psicológicos estejam envolvidos no processo. Seu diagnóstico é baseado primordialmente na história clínica.          É importante ressaltar que essa condição tem tratamento, que pode ser baseado em técnicas comportamentais, medicamentos e psicoterapia. O tratamento tem como objetivo a redução da ansiedade do paciente, para que ele possa ser capaz de controlar melhor a ejaculação. Disfunção erétil          A ereção é uma resposta a um complexo mecanismo que envolve a percepção do  estímulo sexual (seja ele visual, tátil, memórias etc) pelo cérebro, a condução pelos nervos do comando cerebral até o pênis e a liberação de substâncias que produzem o relaxamento da musculatura do pênis. Com isso, os corpos cavernosos do pênis se enchem de sangue, produzindo a ereção.          Disfunção erétil é a incapacidade de obter ou manter uma ereção rígida o suficiente para a prática sexual satisfatória. Pode ocorrer devido a causas psicogênicas ou causas físicas (orgânicas).          A causas psicogênicas (nervosismo, ansiedade, medo de falhar durante a relação) aumentam a liberação dos hormônios do estresse. Com isso, há uma descarga de adrenalina no organismo, dificultando o relaxamento do músculo peniano  e atrapalhando a ereção.          As causas orgânicas são aquelas em que há algum problema em um dos componentes responsáveis pela ereção. Doenças que acometem a capacidade de o cérebro enviar comandos para a periferia do corpo, como acidente vascular encefálico ou esclerose múltipla; doenças que afetam os nervos periféricos como diabetes mellitus ou cirurgia para o tratamento do câncer de próstata; condições que causam lesões aos pequenos vasos sanguíneos do pênis, como hipertensão arterial, tabagismo ou elevação do colesterol podem levar a disfunção erétil.          O tratamento dessa condição pode ser feito com aconselhamento psicológico, com medicações que melhorem o fluxo de sangue para o pênis (medicamentos orais ou injetáveis) ou com a colocação de prótese peniana. A escolha do tratamento vai depender da causa da disfunção erétil e da resposta aos tratamentos menos invasivos.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo